Amigos do Crivella


Deixe um comentário

PROJETO DE CRIVELLA: “NOME SUJO NÃO PODE IMPEDIR CONTRATAÇÃO DE TRABALHADOR”

O senador Marcelo Crivella (PRB-RJ) considera discriminação a prática de empresas que consultam serviços de proteção ao crédito antes de decidir sobre a contratação de futuros empregados. Por essa razão, apresentou o Projeto de Lei do Senado (PLS) 781/2015 para proibir que a situação de inadimplência financeira seja um obstáculo para acesso ao emprego ou cargo público.
De acordo com o senador, essa discriminação vem ocorrendo de duas formas: na primeira, os empregadores solicitam a esses serviços informações sobre o aspirante ao emprego e as usam como determinante para a contratação. A segunda decorre da exigência de certidão que comprove a sua condição de adimplente do candidato à vaga.
Crivella argumenta que muitas pessoas se endividam e ficam com o “nome sujo” em serviços de proteção ao crédito justamente por terem perdido o emprego.
“Esse é um paradoxo terrível, em razão do círculo vicioso insolúvel que cria: o trabalhador permanece inadimplente por falta de emprego e não consegue emprego em razão da inadimplência” aponta ele na justificação do projeto.
O senador pondera que as empresas têm atualmente liberdade para contratar, mas não contratar alguém com nome “negativado” é atentar contra a liberdade do trabalho e contra o princípio da dignidade da pessoa humana.
“O desiderato desta proposição é, por um lado, respeitar o direito atribuído ao empregador e, por outro, o de assegurar que os candidatos possam concorrer às vagas de emprego de forma imparcial e que as garantias constitucionais do direito ao trabalho, à igualdade, à dignidade da pessoa humana, bem como o combate a qualquer prática discriminatória, possam ser asseguradas e respeitadas nos processos de seleção” sustentou.
A proposta altera o Código de Defesa do Consumidor e a Lei 9.029/2015, que trata da proibição de exigir atestados de gravidez e de esterilização, além de outras práticas discriminatórias, para efeitos admissionais.
O projeto está na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) e tem prazo aberto para recebimento de emendas.

Senador @MCrivella traça diagnóstico preocupante da economia fluminense

Deixe um comentário

Senador @MCrivella alerta para a crise atual da economia fluminense

Assista ao discurso em plenário:

“A crise começa a deixar de ser conjuntural para se tornar estrutural e, se ela não for detida e revertida, estaremos diante de um retrocesso histórico”. O diagnóstico é do senador Marcelo Crivella (PRB-RJ), ao traçar, nesta quarta-feira (8), um quadro da situação vivida pelo Brasil, a qual, em sua opinião, tem reflexos mais preocupantes no Rio de Janeiro. Ele disse que o momento só encontra paralelo na decadência da produção cafeeira em 1920, que deprimiu a economia durante décadas.

— Muitas regiões nunca mais se recuperaram, o que marcou profundamente a história econômica do Brasil, com a formação de uma gigantesca conurbação em torno da capital (na época, o Rio de Janeiro), onde se concentram nada menos do que 80% da população fluminense.

De acordo com Marcelo Crivella, os números disponíveis em todas as agências de governo desenham um quadro preocupante para seu estado, onde a crise econômica está se instalando muito mais rapidamente que na média nacional. De posse de dados do ministério do Trabalho, ele disse que, entre dezembro de 2014 e janeiro 2015, o Brasil perdeu 81.774 empregos com carteira assinada. Praticamente a metade dessas demissões, ou seja, 40.658, ocorreram no Rio de Janeiro, acrescentou ele.

O senador também disse que o maior declínio foi na construção civil do seu estado, onde as demissões equivaleram a 82% das demissões em todo o país. Também disse que o setor de serviços perdeu 11.658 postos de trabalho, enquanto o Brasil como um todo perdeu apenas 7.141.

Isso quer dizer — constatou ele — que o saldo de contratações no setor de serviços, no inicio de 2015, teria sido positivo no conjunto do país se as dificuldades no Rio de Janeiro não fossem tão expressivas.

Agência Senado


Deixe um comentário

Dilma sanciona lei de Crivella que exige pessoas capacitadas para reconhecer maus-tratos contra menores

proteção

A presidenta Dilma Rousseff sancionou nesta segunda-feira (1), a lei 13.046/2014, de autoria do senador Marcelo Crivella, que obriga as entidades públicas e privadas, sejam clubes, organizações religiosas, escolas e creches, que abriguem ou recepcionem ainda que de forma temporária crianças e adolescentes, a terem pessoas capacitadas para identificar sinais de maus-tratos e comunicar os casos suspeitos ou confirmados ao Conselho Tutelar mais próximo. Continuar lendo


Deixe um comentário

Ibope: Crivella venceria eleições no segundo turno

Segundo a pesquisa, Crivella e Anthony Garotinho (PR) iriam para o segundo turno e o senador conquistaria 28% dos votos, enquanto Garotinho ficaria com 24%.

Analisando só o primeiro turno, Garotinho tem 19% das intenções de voto e Crivella, 18%, caracterizando empate técnico. Lindberg Farias (PT) obteve 13%, Luiz Fernando Pezão (PMDB), 6%, e Alfredo Sirkis (PSB), 2%. Votos brancos e nulos somam 35% e indecisos, 8%.

Entre os mais rejeitados, estão César Maia (DEM), com 69% dos votos, Garotinho, com 60%, e Pezão, com 59%.

Fonte: SDRZ


Deixe um comentário

Marcelo Crivella deixa o Ministério da Pesca para disputar eleições no Rio

Marcelo Crivella entregou nesta quinta-feira (13) o Ministério da Pesca ao senador Eduardo Lopes (PRB-RJ), seu suplente no senado. Crivella deixou o posto para uma possível candidatura ao governo do Rio de Janeiro. Em 2012 Lopes assumiu o mandato no lugar de Crivella quando ele licenciou-se para assumir a pasta.

Eduardo Benedito Lopes, 49, é pastor da Igreja Universal do Reino de Deus e é natural de Santo André (SP). Já apresentou programas religiosos na TV e dirigiu um jornal e gráfica pertencentes à igreja.

Foi eleito deputado federal em 2006 e em 2010 juntou-se a Marcelo Crivella como suplente nas eleições para o Senado. Único senador do PRB no Senado, Lopes comandará o Ministério da Pesca enquanto seu colega prepara sua possível candidatura ao governo do Rio.

O PRB tem 10 deputados na Câmara e agrega parte da bancada evangélica, um segmento estratégico para a presidente Dilma Rousseff.

Eleições no Rio

Crivella lidera as intenções de voto para as eleições no Estado do Rio de Janeiro. O ministro do PRB também aparece em destaque na simulação de segundo turno.

Na pesquisa feita pelo Ibope se Marcelo Crivella chegar ao segundo turno com Lindbergh ele venceria com 34% dos votos, contra 23%.

Se o concorrente for Garotinho, Crivella também venceria com 33% dos votos e se for para o segundo turno com o atual vice-governador, o senador da Igreja Universal do Reino de Deus se elegeria com 38% dos votos. Com informações G1.

Gospel Prime


Deixe um comentário

Brasil quer aquicultura com boas práticas – @MCrivella

Com amplas possibilidades de expandir a produção nacional de pescado em reservatórios públicos, no litoral e nas propriedades rurais, o Governo Federal elabora agora, de forma participativa, sob a coordenação do Ministério da Pesca e Aquicultura (MPA) e da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), a normatização das boas práticas para o cultivo de algumas das principais espécies de interesse comercial. São elas a tilápia – muito produtiva em cativeiro – o tambaqui, peixe onívoro da Amazônia, e frutos do mar como ostras, mexilhões e vieiras.

Foto: sna.org.br

O processo de elaboração das normas, indispensável para o Brasil alcançar liderança em todos os segmentos de proteína animal – falta o pescado, justamente a proteína mais saudável e de maior expressão comercial no mundo (acima de US$ 200 bilhões, de acordo com a FAO), – começou há três anos com a participação de mais de 70 instituições, como universidades, centros de produção, institutos federais, Ministério da Agricultura, Embrapa, EPAGRI, FIPERJ e secretarias de governo estaduais e municipais.

As normas propostas, sobre as melhores práticas no cultivo de pescado, se encontram em fase de consulta pública no endereço eletrônico da ABNT até o próximo dia 18 de março. Assim, as pessoas ou entidades interessadas podem até esta data propor a alteração, a inclusão, a supressão ou a validação de seu conteúdo.

“Quando as normas forem confirmadas pela sociedade, elas se tornarão não impositivas para todos, apenas referenciais importantes para garantir a estruturação dos negócios, a segurança do próprio criatório e a qualidade final dos produtos para os consumidores”, adianta Américo Ribeiro Tunes, secretário de Monitoramento e Controle da Pesca e Aquicultura do MPA.

Selo de qualidade
Embora a adesão às normas sobre a criação de pescado seja voluntária, os estabelecimentos que estiverem adequados às melhores práticas de manejo poderão receber um selo de qualidade, conferido pelo MPA/Inmetro, o que poderá valorizar os seus produtos junto aos consumidores e até abrir as portas para a exportação. “Alguns pontos fundamentais para a defesa do consumidor e a proteção ambiental, como a biossegurança em aquicultura, serão exigidos por atos normativos ministeriais, de forma independente”, esclarece Eduardo Cunha, coordenador geral de Sanidade Pesqueira do MPA.

Potencial brasileiro
A aquicultura já é responsável pelo atendimento de metade do consumo humano de pescado, tendo em vista o esgotamento dos rios e oceanos. A demanda cresce e o Brasil é um dos poucos em condições de expandir fortemente a produção. Tem água, espécies promissoras, espaço para produzir ração e clima favorável.

O governo brasileiro aposta na atividade para gerar empregos e riquezas. “Simplificamos o licenciamento ambiental, desoneramos impostos e estamos expandindo os criatórios, a pesquisa, a sanidade animal e o crédito, através do Plano Safra da Pesca e Aquicultura”, diz o ministro Marcelo Crivella, da Pesca e Aquicultura. “Agora chegou a vez de universalizarmos as boas práticas na aquicultura, para aumentarmos a competitividade, a produtividade e a qualidade do pescado brasileiro”, afirma

Fonte: PortoGente